A Microsoft divulgou quinta-feira demonstrativo de resultados referente ao terceiro trimestre do ano fiscal de 2017, de acordo com princípios contábeis ordinários (do inglês GAAP) e não-ordinários (non-GAAP).

Quanto à receita proveniente da venda de celulares, houve recuo de $730 milhões (GAAP) no YoY trimestral (extraído do relatório financeiro 10-Q emitido à Comissão de Valores Mobiliários norte-americana). No YoY do trimestre anterior, a queda havia sido maior, de $878 milhões (~ -17 pp). Não foi divulgado número referente à quantidade de celulares vendidos. No entanto, como no segundo trimestre do ano fiscal de 2017 a Microsoft vendeu algo em torno de 1,1 milhão, é provável, que tenha atingido a marca de 1,3 milhão no trimestre terminado em março último.

Alguns sites especializados têm especulado sobre o fim do negócio de smartphones da empresa, como o Thurrott.com e ZDNet.com. Então, corri atrás de evidências, que corroborassem, ou não, a tese e esbarrei no seguinte: oficialmente, a Microsoft tem data para saldar seu custo de reestruturação da divisão de smartphones próprios – hardware -, conforme abaixo.

FY2017 exp

A informação ganha contornos novos com a ausência de citação em análise própria de investimentos em novos produtos, no 10-Q do FY2017 Q3, em que “exclui” expressamente a denominação Windows Phone de seu rol de fatores de risco:

FY2017 Q3 tudo

Portanto, fatos podem descambar no seguinte:

  1. Tudo como dantes no quartel de Abrantes do desenvolvimento do Windows 10 Mobile;
  2. Novos Lumias devem realmente ter saído do mapa de Redmond; e
  3. Um Surface Phone ainda pode dar as caras no futuro.

Quanto à receita global, a gigante gerou 23 bilhões de dólares no FY2017 Q3. Seu lucro líquido foi de $5,7 bilhões. Ambos na avaliação não-ordinária. No mesmo período, há um ano, $22,1 e $5 bilhões respectivamente.

Os maiores responsáveis pelo bom desempenho geral da companhia foram as métricas referentes às divisões Productivity and Business Processes (Office) e Intelligent Cloud (Azure), como no trimestre anterior. Cresceram 22% e 11% respectivamente.

FY2017 Q2 aqui.

Fonte: Microsoft via MSPoweruser.