HDR é o acrônimo de “High Dynamic Range” (Grande Alcance Dinâmico), método utilizado em processamento de imagem, que consiste basicamente em expor diversas fotografias singulares a diferentes velocidades do obturador da câmera visando ao aumento do alcance dinâmico (gradação entre valor mais claro e mais escuro da foto – iluminação).

No aplicativo nativo Câmera do Windows, o processo é simplificado por software e é compatível com os Lumias 640 (XL), 830, 930, 1520 e 950 (XL). A funcionalidade Rich HDR, como é denominada, se apresenta em três estados: ligada, desligada, ou automática.

Em quais cenários se deve utilizar o recurso? No automático, o software decide. Seguem prós e contras:

Ligado (a favor do uso do Rich HDR)

Paisagens – com o Rich HDR ligado, é possível se retratar o detalhe do céu sem que o trecho da terra apareça muito escuro.

Retratos à luz do sol – sol em excesso pode atrapalhar a foto, ou apenas ser indesejado. Daí cair bem o Rich HDR.

Fotos com muita e pouca luz no mesmo enquadramento – uma foto com silhueta indesejada por exemplo, ou muita sombra e raios de sol intercalados.

Desligado (Contras)

Fotos com movimento – por combinar mais de uma foto, talvez o ideal seja não aplicar o recurso.

Retratos à luz do sol – às vezes o que se quer é justamente uma bela silhueta em foto contra o sol.

Cores vivas – se o resultado esperado é a captura de cor intensa, o Rich HDR poderá suavizar a tonalidade.

Há ainda a combinação do Rich HDR com o uso de flash. Segue fluxo com representação gráfica aproximada destes recursos do Windows 10 Mobile em ação (em inglês):

fluxo
Por fim, a Plataforma Universal do Windows possui suporte a HDR e disponibiliza o uso para desenvolvedores. A Microsoft detalhou, no último dia 30, como desenvolvedores podem adicionar a funcionalidade HDR a seus aplicativos customizados de câmera (APIs e Classes). Confiram neste link.

Fontes: AAWP, Microsoft, Lifehacker e MSPoweruser.