O site Windows Central publicou hoje ter obtido acesso a memorando interno da Microsoft no qual teria declarado a parceiros comerciais as localidades nas quais concentraria – no futuro, indeterminado – seus esforços relacionados ao negócio de smartphones: EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Polônia, Austrália, e Europa Ocidental (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Portugal, Espanha, Suécia e Suíça).

E, pasmem, o autor do artigo citou Brasil e Índia, como exemplos de países nos quais a Microsoft não viria mais a atuar, no nicho. Por esse motivo, não se encontrariam na relação acima. “A Microsoft recuou no Brasil”, escreveu Daniel R.

As informações do memorando, caro leitor, são desanimadoras, não? Afinal, nós curtimos nossos Windows phones.

Mas ainda há perguntas sem respostas. Não dá para se escrever, por exemplo, que dificilmente a Microsoft lançará novos modelos, no Brasil, nos próximos dois anos. Tampouco: está assegurada a venda de Lumias a partir de amanhã. A última informação oficial da Microsoft brasileira sobre o assunto, que inclusive é deste ano, é a seguinte: “A Microsoft, em conjunto com seus franqueados, em uma decisão estratégica para o canal, confirma o fechamento programado de determinadas lojas físicas da marca Microsoft Store – Revendedor Autorizado, no Brasil. A empresa esclarece, no entanto, que o serviço da loja online da marca segue operando normalmente e atendendo a todo o território nacional”.

Hoje se você acessar a “store in store” online há Lumias à venda. Fato. Enquanto o site brasileiro da Microsoft mantiver o dizer “em breve” no local destinado ao preço do Lumia 950, esta será a informação oficial.

Fonte: Windows Central.