A Microsoft anunciou hoje estar cortando mais 1.350 postos de trabalho ligados a seu negócio de telefonia móvel na Finlândia, recaindo principalmente sobre colaboradores da linha Lumia, além de 500 mais mundo afora. Na semana passada, a companhia demitiu 4.500 funcionários em função da venda de ativos relacionados à produção de feature-phones (não-smartphones).

A Microsoft também está reduzindo o valor recuperável de seus ativos em $950 milhões, em processo de reestruturação. A previsão atual é a de que o ajuste termine em julho de 2017.

Ano passado, já havia sofrido baixa contábil de $7,6 bilhões relacionada à compra da divisão de Serviços e Dispositivos da Nokia, e corte de 7.800 postos.

Em circular interna, Terry Myerson (VP do Windows), representando o CEO Satya Nadella, provê informações a funcionários acerca do mesmo assunto:

“… Nosso sucesso relativo a celulares tem se restringido a empresas, que valorizam nosso comprometimento com segurança, produtividade e Continuum, e consumidores, que valorizam o mesmo. Assim, temos que focar nossos esforços relacionados a hardware de smartphones… Nossa estratégia para com o Windows permanece inalterada:

Aplicativos Universais…

Nós sempre cuidamos de nossos clientes, Windows phones não são exceções. Nós continuaremos a atualizar e prestar suporte aos atuais Lumias, a celulares de OEMs parceiras, e desenvolver ótimos novos dispositivos.

… Passamos por este momento de reestruturação, mas não deixamos o segmento (móvel)! … Olhando para trás – para o segmento móvel -, nós trabalhamos duro e tivemos grandes ideias, mas nem sempre a preparação necessária, o alinhamento entre todos da companhia, para causar impacto”.

Concluiu escrevendo, citando artigo da publicação especializada Ars Technica, que todo o trabalho, antes de mais nada, os levou à inovação, que ninguém jamais esteve onde a Microsoft se encontra hoje.

Em suma, a Microsoft mantém seu plano anunciado em 2015, apenas detalhando, ratificando, a atenção que deve ser dispensada à divisão de smartphones. A distribuição gratuita do Windows 10 (Mobile) visou, desde o início, ganho de terreno na seara móvel, revelou Nadella certa vez.

Para os fãs eu diria: – aguardem os novos dispositivos Windows prometidos. Tenho certeza que seus lançamentos coincidirão com um Windows 10 Mobile ainda melhor. O sinal está verde para a plataforma!

Fontes: ZDNet e Thurrott.com.