Extra! Os números AdDuplex de maio chegaram e mapeiam, em detalhes, o cenário brasileiro! Refletem o “usage share” de Windows Phones no mercado. O relatório se baseia nos dados coletados de mais de 5.000 aplicativos (o universo é de Windows Phones apenas).

Com relação à tendência global e ao mês anterior, a maior mudança é a referente à queda de 1,1 ponto percentual (pp) do share do grupo “outros” (décimo primeiro colocado do top 10 – risos – com 32,7% de share). O 520 recuperou prevalência, ao contrário do que se previa, e se encontra novamente em primeiro lugar (12,2%, +0,9 pp no mês). Assim, o 535 (11,7%, -0,8 pp) retorna à segunda colocação. O Lumia 630 (8,9%, +0,6 pp), por sua vez, se mantém em terceiro abrindo +0,8 pp do quarto, 640 (8,1%, -0,2 pp). No mês passado ambos estavam empatados com 8,3%. Em quinto vem o 635 (6,8%, +0,5 pp) em alta. O 625 se destacou por perder duas posições. Está em nono (3,7%, -0,6 pp). O 920 se mantém estável em 2,6%, nesta medição mês a mês.

worldmaio2016
Na batalha interna entre sistemas operacionais, o Windows 10 Mobile, com 10,4% (grassa 1,2 pp no mês) de share, abriu em relação ao Windows Phone 8.0, por sua vez estável no mês a mês com 7,5%. O WP 8.1 reina com 78,8% (-0.3 pp – o WP 7.x perde 0,9 pp: 3,3%). Estes números sugerem, que a adoção do Windows 10 Mobile cresce, neste universo, de maneira indiscutível. Em parte, graças a upgrades a partir do WP 8.1, e substituição de smartphones antigos (WP 7) por novos.

No Brasil (vide acima), se mantém líder o 630 (16,4%, +0,7 pp), abrindo em relação ao 520 (14,1%), que caiu 0,7 pp. O 535 continua na terceira colocação (12,7%, -0,1 pp). O 640 XL despencou para a sétima posição (6,0%, -0,7 pp). O 640 (7,4%, +2,7 pp!!) vem em quinto, logo após o quarto, 435 (9,2%, +1,1 pp), deixando a oitava posição pra trás, agora ocupada pelo 532 (4,7%, +0,6 pp), que por sua vez deixou a nona posição para o 730 (4,3%, -0,8 pp), antes na sétima. O décimo do top ten Brasil é o 635 com 3,1%, dando as caras nos dez mais, empurrando o 710 para o “ostracismo” (outros=14,8%). Todas as medições do Brasil são relacionadas a fevereiro, ou seja, são comparados os números de maio agora com os de três meses atrás.